GRUPOS
 
Irmandade de Nossa Senhora da Penha de França e de 
São João Baptista

A Irmandade de Nossa Senhora da Penha de França, nasceu há mais de 400 anos, quando no dia 20 de Março de 1599, um grupo de 7 naus ia a caminho da Índia.     

A História

Em pleno mar, a tripulação foi "atacada pelo mal da peste". Os mortos iam sendo atirados ao mar, com grande pesar e angústia para todos. Então o Capitão-Mor, D. Jerónimo Coutinho, da Casa dos Atouguias, de acordo com todos os oficiais, "resolveram fazer um voto a nossa Senhora da Penha de França, de se constituírem em Irmandade, se a mãe de Deus os livrasse deste perigo".

Foram logo ouvidos. Desde esse dia, até ao regresso à pátria, ninguém mais perdeu a vida. Por isso, logo que regressaram, antes mesmo de irem ver as suas famílias, foram todos descalços, desde a Igreja de Santos, até ao Santuário de Nossa Senhora da Penha de França, rendendo-lhe graças, pelos seus favores e protecção. Ali deixaram as suas ofertas, cera e ornamentos que tinham trazido da índia. O seu guardião, que nunca abandonava o Santuário, António Simões recebeu-os e guardou-os com comovida alegria.

Sobre a Irmandade

Actualmente a Irmandade passa por uma etapa de transição e de renovação. No ano de 2017, foi constituída uma nova mesa. O Patriarcado de Lisboa solicitou a renovação dos estatutos para adaptá-los ao Novo Código de Direito Canónico que surgiu depois do Concílio Vaticano II, o que veio a ocorrer nesse ano. Porém o grande desafio da Irmandade está na renovação dos seus membros.

A Irmandade da Penha de França não é um organismo mais da nossa Paróquia; a ela deveriam pertencer todos os paroquianos que amam a Virgem Maria. Neste sentido solicita-se a todos que se inscrevam como membros da Irmandade. Nossa Senhora, que veneramos com o título de Nossa Senhora da Penha de França e assim vos premiará toda a colaboração que prestais para o decorrer das festas em sua honra.

Actualmente os órgãos de governo da Irmandade tem a seguinte composição:

Mesa da Assembleia Geral

Presidente

Nuno Miguel Pais Felgueiras da Costa

1.º Secretário

José Miguel Alves

2.º Secretário

Isabel Maria de Jesus Gonçalves Duarte das Neves

Mesa Administrativa

Juíz

Manuel Alves Ribeiro

Vice Juíz

Luís Manuel Tomaz dos Santos

Secretária 

Maria Luísa Simões Oliveira

Tesoureiro

Jorge Manuel Fernandes Duarte das Neves

Vogal

Paula Alexandra dos Santos Jesus

Concelho Fiscal

Presidente

Maria Manuela Brissos dos Santos

Secretária 

Maria Beatriz Simões Oliveira Valente

Vogal

Carla Sofia Rodrigues Carreira

 
Associação Pedro Jorge Frassati

Foi há quase 72 anos que a 13 de Abril de 1947, um grupo de jovens onde se podem destacar os nossos associados António Ferreira Juncais, Fernando Morais Sarmento, Manuel Colaço, António Jerónimo, Victor Silva, Waldemar Travassos, Gabriel Lourenço, Fernando Fonseca e Mário Neves, impulsionados pelo Dro. Manuel Máximo Malheiro de Oliveira e Albano Vieira, pilares à época da nossa Paróquia, reuniram-se no Seminário dos Olivais e deram corpo ao Grupo Pedro Jorge Frassati, o primeiro grupo de jovens da nossa Paróquia e, hoje, dos mais, senão o mais antigo a nível Diocesano.

A História

Com uma história dourada nos finais da década de 40 e nas décadas de 50 e 60 do século XX, alicerçada na realização de exposições, colóquios, formações,acampamentos,sessões recreativas e desportivas, acções sociais e viver no dia-a-dia o espírito e ideais do nosso Patrono. Após um período de alguma perturbação e desvio dos nossos objectivos durante as décadas de 70 e 80 do século XX, nos anos 90 o “Grupo” volta a viver páginas de glória e enaltecimento do seu nome com a realização de uma série de exposições sobre os Descobrimentos Portugueses, festas recreativas e solidárias, a prática do ténis de mesa e futsal, formação catequética nas nossas salas entre outras que nos voltaram a encontrar os nossos ideais e objectivos. 

No ano de 1997 comemorámos os 50 anos de existência com uma série de iniciativas entre as quais várias exposições, eucaristias solenes, almoço no Salão paroquial com mais de 250 associados e famílias. Em 2005 nasce o projecto da escola de futsal que actualmente conta com mais de 110 jovens com idades entre os 4 e os 19 anos de idade.

Sobre a Associação

Aos dias de hoje estamos a preparar o futuro com uma maior aproximação à Paróquia e à nossa génese com novidades que brevemente esperemos comunicar a toda a comunidade. Actualmente participamos nas diversas actividades da nossa Paróquia como por exemplo a Via Sacra ou as Festas em Honra de Nossa Senhora da Penha de França e São João Baptista. Entretanto vamos começar a preparar as comemorações dos nossos 75 anos, em 2022, com um plano de iniciativas arrojado mas que visará festejar de forma condigna a importância da transmissão dos nossos valores emanados do nosso Patrono: a Alegria, o Desporto, a Actividade de viver o Amor e a Caridade pelos mais necessitados em todas as ocasiões da nossa vida.

Redes Sociais

  • Facebook
 
Agrupamento Escuteiros nº 42

O Movimento Escutista é um movimento de educação não-formal para jovens, voluntário, apolítico e aberto a todos, sem distinção de género, origem, raça ou credo. A nossa Missão é contribuir para a educação dos jovens, oferecendo-lhes a oportunidade de se desenvolverem emocional, intelectual, física e espiritualmente como indivíduos, como cidadãos globais responsáveis, membros das suas comunidades locais, nacionais e internacionais, através de um sistema de valores baseado na Promessa e na Lei Escutistas, ajudando a construir um mundo melhor, onde as pessoas se realizam enquanto indivíduos e desempenham um papel construtivo na sociedade.

O Corpo Nacional de Escutas – Escutismo Católico Português é um movimento da Igreja Católica onde a Animação da Fé, característica do Escutismo do CNE, é feita naturalmente através do jogo escutista, vivido à luz de Jesus e do Evangelho, procurando contribuir para a formação humana e cristã dos seus associados, pelo testemunho da vida em comunhão eclesial.

A História

No início dos anos 50 do século passado, chegou à nossa Paróquia o Padre João de Brito Atanásio que, tendo tomado contacto com o Escutismo no Seminário, estabeleceu contacto com os responsáveis pela Região escutista de Lisboa, no sentido de criar na Penha de França uma Alcateia. Foi esta medida que levou ao nascimento do Escutismo na Penha de França e à criação, em 27 de Abril de 1952, da Alcateia 59 (posteriormente Alcateia 8) – Nª Sra. da Penha de França. Nesta época, não existiam Agrupamentos. As Alcateias, os Grupos e os Clãs eram independentes, constituídos unicamente por rapazes, e tinham, claro está, de ter pelo menos um Dirigente investido para serem filiados.

A 31 de Janeiro de 1955, precisamente um dia depois de completar 21 anos de idade (a idade da maioridade, à
época), o Caminheiro Carlos Mana é investido Dirigente e é filiado no CNE o Grupo 45 (posteriormente Grupo 3) –
Padre Damião. Claro está que os Lobitos se fazem Exploradores e os Exploradores, Caminheiros. O passo seguinte chegou quatro anos depois.

Foi a 28 de Março de 1959 que o Clã 5 – Infante Santo nasceu e, com ele, se filiou no CNE o Agrupamento 42 – Penha de França. Mais tarde, já nos anos oitenta, os Grupos de Exploradores foram divididos em duas Unidades independentes: os Grupos Exploradores Juniores e os Grupos Exploradores Seniores (mais tarde designados Grupos Pioneiros). O nosso Grupo Pioneiro 79 – São João Baptista veria a luz do dia a 20 de Fevereiro de 1988. Actualmente, entre Lobitos (6 – 10 anos), Exploradores (10 – 14 anos), Pioneiros (14 – 18 anos), Caminheiros (18 – 22 anos) e Dirigentes somos 79 elementos, que procuram continuar a fazer crescer o Movimento criado por Baden- Powell em Brownsea, em 1907, e “a procurar deixar o mundo um pouco melhor do que o encontrámos”, conforme ele nos desafiou um dia.

Onde Estamos

Corpo Nacional de Escutas
Agrupamento 42 – Penha de França
Largo da Penha de França, 3
1170-298 Lisboa

Email

Redes Sociais

  • Facebook
  • Instagram
 
Caminho Neocatecumenal

O Caminho Neocatecumenal (CNC) foi definido pelo papa São João Paulo II como um itinerário de formação cristã válido para a sociedade e dos dias de hoje. O seu serviço consiste em ajudar as dioceses e paróquias em que está implantado, a realizar aquilo que respeita a três bens espirituais, que são parte da missão evangelizadora básica da Igreja, nomeadamente:

A iniciação cristã dos não-baptizados

A catequese integral dos já baptizados mas insuficientemente 
evangelizados, sob a forma de um catecumenado pós-baptismal

A formação permanente na fé daqueles que já percorreram integralmente o referido catecumenado e renovaram solenemente as promessas baptismais

A História

Nasceu em Madrid, nas barracas de Palomeras Altas, por volta de 1963. Chegou a Portugal por volta de 1969, da mão do padre João de Brito, pároco da Penha de França, onde nasceu a primeira comunidade neocatecumenal há 50 anos. Actualmente, conta com mais de 300 comunidades espalhadas pelas dioceses portuguesas. Através do contacto de Francisco “Kiko” Argüello (jovem pintor regressado à fé, após um período de ateísmo) com os pobres e delinquentes desse bairro, foram surgindo as catequeses iniciais do CNC, o querigma, 1º anúncio do Evangelho. Assim se formou a primeira experiência comunitária. Pouco depois juntou-se-lhes Cármen Hernández (já falecida), jovem doutorada em Química e licenciada em Teologia, ex-noviça numa congregação missionária, que estava em contacto com as renovações teológicas, bíblicas e litúrgicas então a confluir e emanar do II Concílio do Vaticano.

O Arcebispo de Madrid, Mons. Morcillo, ao conhecer esta comunidade composta por gente com vidas tão extraviadas e que assim se estava a aproximar de Cristo, pediu a Kiko e a Cármen que levassem essa experiência às paróquias da capital. Mas só em Zamora nasce a comunidade neocatecumenal paroquial mais antiga do mundo (1967). No ano seguinte, a experiência será vivida em bairros pobres de Roma e de Lisboa (na paróquia da Penha de França). A partir do conhecimento litúrgico de Cármen surge a inspiração de fazer esta caminhada de fé sob uma forma catecumenal, isto é, com etapas progressivas, que cada comunidade vai
percorrendo ao seu ritmo.

Espalhado por mais de uma centena de países e milhares de dioceses, o Caminho viu os seus estatutos definitivamente aprovados pela Santa Sé em 2008. Depende directamente do Conselho Pontifício para os Leigos. A equipa responsável internacional é actualmente composta por Kiko Argüello, Ascensión Romero e pelo Pe. Mário Pezzi, italiano, da diocese de Roma. Frutos desse Caminho são os carismas de itinerantes (catequistas que partem para qualquer parte do mundo, como responsáveis do Caminho em quaisquer nações ou regiões) e das famílias em missão. Surgiram já milhares de vocações para o presbiterado, dando origem a mais de 80 Seminários diocesanos e missionários Redemptoris Mater, como o de
Lisboa (2000) e do Porto (2008), e também para a vida contemplativa.

 
Confraria Nossa Senhora do Carmo
 
Apostolado de Oração
 
Grupo dos Vicentinos
 
Legião de Maria
 
Focos de Esperança

Os Focos de Esperança são um movimento juvenil ligado ao Instituto Secular das Cooperadoras da Família. Bebem do carisma de toda a obra fundada por Monsenhor Alves Brás e com tal pretendem ser focos de esperança junto das famílias.

Sobre o Grupo

Numa caminhada de descoberta, característica das idades mais jovens, querem descobrir o seu lugar no mundo e na Igreja. Pretendem aprofundar a virtude da esperança e fazê-la acontecer nos contextos onde estão inseridos. Presentes nos vários locais onde as Cooperadoras da Família desenvolvem a sua missão, os jovens Focos de Esperança, desenvolvem um conjunto de actividades onde se destacam encontros, retiros, caminhadas, campos de férias e muitas outras iniciativas que os ajudam num percurso individual e colectivo de vivência de fé e de testemunho na Igreja e em Igreja.

Na Paróquia da Penha de França, o Grupo de Jovens Focos de Esperança iniciou a sua actividade em 2011 (após uma interrupção de alguns anos…) e é neste ambiente paroquial, mas também em comunhão com todos os Jovens Focos espalhados pelo país, que procura ser sinal de esperança, contribuindo, cada jovem com a sua singularidade, na construção de um mundo melhor e de uma Igreja que seja verdadeiramente Comunhão e Mãe! Com a protecção do nosso Fundador, o Venerável Pe. Joaquim Alves Brás, queremos, na Paróquia ou onde o Senhor nos enviar, “Ir onde ninguém vai”, isto é, onde houver necessidade, para que muitos conheçam o coração de Cristo vivo e ressuscitado!

  • Facebook

Redes Sociais

 
Fraternidade Nuno Alvares
Núcleo Penha de França

A Fraternidade de Nuno Álvares (FNA) é uma Associação de Escuteiros Adultos fundada em 1955, constituída por antigos filiados do Corpo Nacional de Escutas (CNE), maiores de 22 anos.

Sobre a FNA

Em situações especiais, definidas no seu Regulamento Geral, a FNA aceita como Associados pessoas adultas que não tenham tido oportunidade na sua juventude de pertencerem ao Escutismo Católico, mas que se identificam com os valores e Princípios do Movimento Escutista e com os Estatutos e Regulamentos da FNA. A FNA é uma Associação privada de fiéis e afirma-se como um movimento activo da Igreja Católica, cuja doutrina assume, proclama e defende. A FNA coloca-se sob a protecção de São Nuno de Santa Maria e toma-o como seu patrono e modelo de vida e de santidade.

A FNA tem por fins:

Manter vivo nos seus Associados o ideal escutista, segundo a Lei e os Princípios do Escutismo

Manter vivo nos seus Associados o ideal escutista, segundo a Lei e os Princípios do Escutismo

Desenvolver um serviço voluntário aos outros e de protecção da Natureza e do Ambiente

Promover a fraternidade escutista internacional

O Núcleo da Penha de França

O Núcleo Penha de França da FNA é um dos vários que integram esta Associação na Região de Lisboa, sendo formado maioritariamente por antigos escuteiros do CNE que, por diversos motivos, não puderam dar continuidade à sua actividade escutista naquela organização. No entanto, fiéis aos princípios e ao espírito escutista presente na sua condição de adultos, avançaram para a formação deste Núcleo no dia 19 de Setembro de 2015, que lhes permite hoje continuar a desenvolver, colectiva e institucionalmente, acções de cidadania, solidariedade e voluntariado na comunidade.

O Núcleo participa em várias acções a nível local, regional e nacional, desde a data da sua formação, destacando-se o apoio às iniciativas da Paróquia, a integração no grupo de agentes locais de protecção civil da Freguesia, a participação em acções de voluntariado dirigidas aos mais necessitados e à protecção do ambiente, a realização de actividades de radioescutismo e a prática em geral de outras actividades de índole escutista orientadas para adultos.

O lenço castanho que todos envergamos é o sinal mais distintivo da FNA e da nossa condição de Escuteiros Adultos. A nossa acção orienta-se pelo lema “Sempre Alerta para Servir”.

Mais informações disponíveis em FNA Núcleo Penha de França - Escuteiros Adultos e FNA – Região de Lisboa.

NEWSLETTER
REDES SOCIAIS
  • Facebook

© 2020 Paróquia da Penha de França. Criado com WIX